Secretaria da Educação do Estado realiza formação de professores para atendimento escolar hospitalar e domiciliar

índice

 

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia está realizando a formação  continuada em Classe Hospitalar/ Atendimento Domiciliar, com 40 educadores da Educação Inclusiva. A formação é voltada para que estes profissionais atuem no serviço de atendimento escolar aos estudantes gravemente enfermos que precisam estudar em casa ou na classe hospitalar. O segundo módulo do curso (serão três no total) está sendo realizado até esta sexta-feira (25), no Instituto dos Cegos da Bahia, em Salvador.

Nesta etapa, a formação envolve as disciplinas Surdez (formadores da Associação Educacional Sons no Silêncio – AESOS), Deficiência Visual (formadores do Instituto de Cegos da Bahia), Deficiência Intelectual (com a professora Sidenise Estrelado, do Centro de Educação Especial da Bahia – CEEBA), Autismo (com o professor de História da rede estadual e psicólogo, Sílvio Cabral). Além disso, o curso envolve uma oficina das crianças da AESOS. Professores de outras cidades, como Feira de Santana, Ilhéus, Itabuna, Vitória da Conquista e Santo Antônio de Jesus, também receberão a formação.

A psicopedagoga e especialista em Classe Hospitalar, da Secretaria da Educação do Estado, Veruska Poltronier, afirma que a formação tem o objetivo de abordar a classe hospitalar no seu aspecto legal e do ponto de vista epistemológico. “Com esta formação, o professor saberá como ministrar uma aula aos alunos com deficiências que estejam internados. Nossa intenção, portanto, é que os professores que atuam na área da Educação Inclusiva se sensibilizem com uma realidade que nos traz um número alto – cerca de seis mil – de jovens com patologias crônicas, como oncologia, nefrologia e cardiopatia, entre outras”, afirmou.

A professora articuladora do Núcleo Territorial de Educação (NTE) 26, Adriana Silva, fala de sua expectativa em relação à formação e atuação nas classes hospitalares. “Ter contato com a Educação Inclusiva e buscar uma especialização na área é uma necessidade cada vez mais urgente, já que os alunos com deficiência estão sendo integrados às turmas regulares. É uma clientela nova e nós, educadores, temos que saber lidar com as suas especificidades”, considera.

O professor formador, Alex Sandrelanio, coordenador da Associação Educacional Sons no Silêncio, destaca a importância do curso na área da surdez. “Para que os professores possam atuar em classes hospitalares e nas domiciliares, trabalhamos os seguintes eixos: a história da educação do surdo no Brasil e no mundo e a dimensão político-jurídica da educação do surdo; os modelos educacionais para os estudantes surdos; o plano individual de atendimento educacional especializado em surdez; e aquisição da língua e da Libras como base educacional entre ouvintes e surdos. Importante que esse atendimento específico seja dado como determina as leis relacionadas”, ressaltou explica.

Sarahdo – Atualmente, são atendidos em domicílio cinco estudantes da rede estadual gravemente enfermos, para quem são garantidos escolaridade, atendimento educacional especializado e tratamento personalizado e humanizado, tanto para eles, como para seus familiares, em suas residências. O trabalho é realizado através do Sarahdo, lançado recetemete pela Secretaria da Educação do Estado. O objetivo do Sarahdo é que o atendimento seja realizado para além do domicílio, por isso a formação dos professores para a implantação da classe hospitalar.

Professores participam de formação sobre o e-Nova Educação

índice

 

Professores da rede estadual participaram, nesta quinta-feira (24/05), do Workshop Trilha Pedagógica e-Nova Educação, no Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) Empreende Bahia, em  Água de Meninos, em Salvador. O encontro teve o objetivo de mostrar as várias possibilidades da utilização das tecnologias no contexto escolar a partir do projeto e-Nova Educação. O e-Nova foi lançado pela Secretaria da Educação do Estado, em parceria com o Google, e está levando tecnologias digitais para a sala de aula, integrando acesso à internet de alta velocidade com os dispositivos móveis, dentro da proposta de propiciar a contextualização da Educação no século XXI.

Durante o workshop, os professores também puderam tirar dúvidas sobre o uso do chromebook (computador portátil do Google), que é utilizado em sala de aula. Por isto, foram apresentadas as ferramentas para que os professores tenham bons resultados ao desenvolver produções ligadas à tecnologia com os estudantes.

O professor de Ciências, Francisco Chaves, da Escola Estadual Solange Hortelio Franco, no bairro do Uruguai, falou que o workshop serve como uma formação. “É natural que aconteça uma evolução na forma de aprendizado para os estudantes. Com a tecnologia acredito que exista um processo que facilite a compreensão do conteúdo, além de promover um maior interesse do aluno pelas disciplinas. Isto é trazer as ferramentas que a juventude está utilizando para dentro do ambiente escolar”, contou.

Já a professora de Matemática e Física, Denise Gomes, dos Centros Educacionais Carneiro Ribeiro – Classe I e III, ressaltou ser fundamental o uso da tecnologia nas escolas. “Acho muito interessante o projeto e-Nova, pois sempre defendi o uso da tecnologia aplicada ao ensino na escola. Até porque é uma realidade. É normal que sintamos um pouco de dificuldade, porque dentro da docência existem profissionais de diversas gerações. Mas, com tranqüilidade e com o suporte da Secretaria da Educação, acho que vamos conseguir desenvolver um bom trabalho nas escolas”, disse.

A coordenadora do Núcleo de Tecnologias e Plataformas Multimídias da Secretaria da Educação do Estado, Carla Almeida, explicou a importância da iniciativa. “Estamos promovendo um diálogo e ouvir do professor suas reflexões e sugestões, é muito enriquecedor para o projeto. Iremos realizar esta mesma atividade nos dias 29 e 30 no mesmo local para outros educadores e a nossa expectativa é que possamos alcançar 900 professores”, destacou.

 

Sobre o e-Nova Educação - O projeto e-Nova Educação contempla, em sua fase piloto, escolas de 11 municípios baianos – Salvador, Feira de Santana, Mata de São João, Camaçari, Lauro de Freitas, Jequié, Vitória da Conquista, Ilhéus, Itabuna, Senhor do Bonfim e Luís Eduardo Magalhães –, englobando 20 escolas das mais variadas modalidades de oferta, desde Centros Noturnos de Educação até escolas regulares, passando, também, por Centros de Educação Profissional, dentre outros. A meta é chegar a 500 unidades escolares ainda este ano, já tendo sido adquiridos 14 mil chromebooks para a distribuição entre essas escolas.

Estudantes da rede estadual participam da VI Feira Nacional de Matemática no Acre

índice

Estudantes e professores da rede estadual de ensino já estão em Rio Branco, no Acre, para a participação da VI Feira Nacional de Matemática, que será aberta oficialmente, às 19h, desta quarta-feira (23) e segue até sexta-feira (25). Os projetos da rede estadual que serão apresentados foram selecionados na 6ª Feira de Empreendedorismo, Ciência e Inovação da Bahia (FECIBA), que é promovida pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia, no âmbito do Programa Ciência na Escola.

Durante todo o dia, os participantes fizeram a montagem dos estandes. Foi o caso do estudante Elisson Oliveira e da professora Delane Santos, da Escola Estadual Almeida Sampaio, do município de Amargosa (a 270 km de Salvador), que irão apresentar o projeto “Áreas de Figuras Estranhas”, e concorrer aos prêmios ‘Destaque’ e ‘Menção Honrosa’ no evento.

Segundo Delane, o projeto traz um diferencial por trabalhar, com os estudantes, figuras geométricas incomuns e que não são utilizados dentro currículos escolares. “A Matemática na escola trabalha com o quadrado, triângulo e círculo, e o aluno fica limitado a essas figuras. Com o projeto, ensinamos a calcular a área de qualquer figura estranha, dando maiores possibilidades e dinâmica para o aprendizado na escola, para que os estudantes desenvolvam outras competências com a regra de três simples. É um momento de muita alegria estar mostrando a iniciativa em um evento internacional”, ressaltou.

Para o estudante Elison, 16 anos, do 9º ano do Ensino Fundamental, é muito gratificante contribuir para expandir o ensino da Matemática nas escolas. “Essa ação pode trazer para a sala de aula uma forma didática diferente de aprender a calcular as figuras. Acredito que isso pode animar ainda mais os colegas a terem um interesse pela Matemática”, afirmou. O aluno ainda destaca sua expectativa para o evento. “Tivemos um bom desempenho nas feiras estaduais e tivemos o prazer de sermos selecionados para virmos até o Acre. Estou muito ansioso para apresentar nosso trabalho nesta feira”, contou.

Ainda participam da VI Feira Nacional de Matemática, os projetos: “O fogão solar e a aplicação da secção cônica diminuindo impactos ambientais”, do Colégio Estadual Professora Simone Neri, em Inhambupe; “Transformando águas: o uso da biomatemática na dessalinização da água salobra na região de caatinga”, do Colégio Estadual Eurides Santana, em Poções; e “Armas biológicas x Aedes aegypti”, do Colégio Estadual Wilson Lins, em Valente.

O evento é organizado pelo Instituto Federal do Acre (IFAC) e Universidade Federal do Acre (UFAC), com o apoio da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), a Universidade Regional de Blumenau (FURB) e a Sociedade Brasileira de Educação Matemática (SBEM), entre outras instituições.

Diretores escolares de Salvador e RMS dialogam sobre o Virtual Educa Bahia 2018

índice

 

A Secretaria da Educação do Estado promoveu, nesta quarta-feira (23),  um encontro com diretores escolares do Núcleo Territorial de Educação Salvador e Região Metropolitana (NTE 26) para tratar do XIX Encontro Internacional Virtual Educa 2018/Bahia, que acontecerá de 4 a 8 de junho, no Centro de Formação e Eventos da Secretaria da Educação do Estado (antigo ICEIA), em Salvador. O Virtual Educa é um dos maiores encontros internacionais de tecnologia aplicada à Educação e que reunirá pesquisadores, educadores e representantes de países da América Latina, Caribe e da África.

Durante o encontro com os gestores, foram apresentados alguns detalhes da programação que será realizada no ICEIA e também no Porto de Salvador. Os estudantes e professores da rede estarão diretamente envolvidos como protagonistas do evento, uma vez que irão expor projetos desenvolvidos nas escolas, no âmbito do Ciência na Escola, dos Centros Juvenis de Ciência e Cultura, da Educação Profissional e Tecnológica (EPT), dentre outros projetos estruturantes. Os educadores da rede estadual também submeteram projetos à coordenação do Virtual Educa e os selecionados irão apresentar seus trabalhos nos Fóruns que contextualizarão a Educação no Século XXI.

A diretora Rosilane Gomes, do Colégio Estadual João Caribé, no Subúrbio Ferroviário de Salvador, participou da atividade e falou sobre a sua expectativa para o Virtual Educa Bahia 2018. “Achei importante este encontro para conhecermos melhor o Virtual Educa e a sua importância no sentido de trazer as novidades que buscamos para a escola. Sabemos que o alunado fica encantado com as novidades relacionadas à tecnologia. Então, a aplicação destas no ambiente escolar, certamente, vai motivar ainda mais os nossos estudantes no seu processo de ensino e aprendizagem”.

O assessor de Relações Institucionais e Articulação Federativa da Secretaria da Educação, Cláudio Santos Silva, disse que o Virtual Educa será uma experiência valiosa para a comunidade escolar da Bahia. “O Virtual Educa será um momento de troca de experiências e de constatação de que todos estão buscando novos caminhos para a Educação e este encontro, hoje, tem o objetivo de ampliar o conhecimento dos nossos educadores sobre o que é o Virtual Educa. Temos uma expectativa de participação de mais de dois mil professores da rede estadual, além de todos os diretores”, afirmou.

Saiba mais sobre o Virtual Educa Bahia 2018: www.educacao.ba.gov.br

Abertas inscrições para o programa Mais Futuro

índice

 

Estão abertas, até o dia 21 de junho, as inscrições para a terceira etapa do Mais Futuro, programa estadual de assistência estudantil, através do site <maisfuturo.educacao.ba.gov.br>. A iniciativa oferece auxílio financeiro para os estudantes das universidades Estaduais de Feira de Santana (UEFS), de Santa Cruz (UESC), do Sudoeste da Bahia (UESB) e da Universidade do Estado da Bahia, (UNEB), que estejam em condições de vulnerabilidade socioeconômica, inscritos no CadÚnico, além de oportunidades de estágio no setor público.

Segundo o secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, o programa vem contribuindo de forma decisiva para a permanência daqueles estudantes que mais precisam de apoio para continuar estudando. “Esta iniciativa já beneficiou mais de oito mil estudantes das universidades públicas estaduais nas duas primeiras etapas. Com o Mais Futuro, estamos contribuindo para que os estudantes concluintes do Ensino Médio tenham a garantia de que, ao ingressar em uma de nossas universidades, possam cursar e finalizar o Ensino Superior, principalmente para os de baixa renda, que por muitos motivos acabam abandonando a universidade“.

Os interessados em participar desta terceira etapa devem estar atentos para ter o registro atualizado no cadastro centralizado de programas sociais do Governo Federal (CadÚnico). Para fazer essa atualização é preciso ir até o setor responsável pelo CadÚnico ou pelo Bolsa Família na cidade em que mora. Caso não saiba onde fica o local de cadastramento, o interessado pode buscar essa orientação no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) mais próximo de sua casa. Em muitas localidades, o próprio CRAS realiza o cadastramento das famílias. Candidatos ao programa Mais Futuro também não devem possuir vínculo empregatício e não ter concluído qualquer outro curso de nível superior. O incentivo garante a permanência desses estudantes nas salas de aula e a conclusão dos cursos de graduação.

O valor da bolsa é de R$ 300 para quem estuda a até 100 quilômetros de onde mora, ou de R$ 600 para os que vivem a uma distância maior, pois para estes há a necessidade de moradia temporária na cidade onde estuda. Estando dentro do perfil do programa, o estudante poderá receber o auxílio até completar dois terços do curso. No terço final da graduação, os beneficiários terão a opção e prioridade para ingressar em vagas de estágio de nível superior ofertadas por órgãos e secretarias do Governo do Estado.

Até o fim de 2018, cerca de R$ 50 milhões serão investidos pelo governo de Estado no programa. O pagamento das bolsas é feito diretamente ao próprio estudante, através de cartão, em conta bancária criada exclusivamente com essa finalidade.

Último dia de inscrições para o curso pré-vestibular Universidade para Todos

índice

 

Terminam, nesta quarta-feira (23), as inscrições para o processo seletivo dos estudantes interessados em participar do curso pré-vestibular do Programa Universidade para Todos (UPT), que é promovido pela Secretaria da Educação do Estado. Estão sendo destinadas 14 mil vagas. A inscrição é gratuita e está disponível no Portal da Educação (www.educacao.ba.gov.br). As aulas serão realizadas de 5 de junho a 14 de dezembro.

O secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, disse que o programa é uma política de inclusão. “Este programa é desenvolvido em parceria com as nossas quatro universidades estaduais (UEFS, UNEB, UEFS e UESC), em diversos municípios da Bahia, e é voltado para que nossos estudantes tenham mais oportunidade de acesso ao Ensino Superior”, afirmou.

O UPT é destinado a estudantes da rede pública matriculados, em 2018, no 3º ano do Ensino Médio regular estadual ou municipal ou suas modalidades correspondentes; que tenha cursado em escola pública municipal e/ou estadual no Estado da Bahia, o Ensino Fundamental II – 5ª à 8ª séries, atual 6º ao 9º ano ou modalidades correspondentes; e 1ª e 2ª séries do Ensino Médio regular ou modalidades correspondentes. Durante o curso, serão ofertadas as disciplinas Português, Redação, Matemática, Física, Química, Biologia, Literatura, Língua Estrangeira (Inglês ou Espanhol), História e Geografia.

No ato da inscrição o candidato deverá fazer opção para um único município, local de funcionamento e turno que deseja cursar, bem como preencher integralmente o formulário de inscrição. A relação oficial dos candidatos selecionados será disponibilizada no dia 30 de maio, no endereço www.educacao.ba.gov.br/universidadeparatodos, nos sites das universidades estaduais e afixada nos locais em que funcionarão as turmas do curso.

Matrícula – Após a publicação dos resultados, os selecionados serão convocados para a realização da matricula, que acontecerá de 5 a 8 de junho, no local e turno que optaram para cursar. A matrícula somente poderá ser realizada pelo próprio candidato, assistido ou representado pelo pai, mãe ou responsável, se menor de 18 anos, ou por representante munido de procuração com firma reconhecida em cartório.

No ato da matrícula, o candidato deverá apresentar cópia, acompanhada de original, dos seguintes documentos: carteira de identidade e CPF, comprovante de residência; e histórico escolar do Ensino Fundamental II – 5ª à 8ª séries, atual 6º ao 9º ano ou modalidades correspondentes, além de documentos específicos referentes à sua situação atual conforme edital.

Educadores são certificação para a implantação de Escritórios Territoriais e Criativos na rede estadual

índice

 

Gestores e professores da Educação Profissional e Tecnológica (EPTEC) da rede estadual de ensino foram certificados, nesta terça-feira (22), pela conclusão do curso “EPTEC e os Arranjos Produtivos Territoriais”, durante solenidade no auditório da Secretaria da Educação do Estado. O curso visa formar os educadores para a implantação dos Escritórios Territoriais e Criativos, em 30 unidades da rede estadual de ensino que ofertam cursos técnicos de nível médio e de qualificação profissional.  Os escritórios servirão para ampliar a formação profissional dos estudantes e ao mesmo tempo promover a integração dos Centros com os diferentes atores sociais, de modo a fomentar, ainda mais, o desenvolvimento dos arranjos produtivos nos Territórios de Identidade da Bahia.

O subsecretário da Educação, Nildo Pitombo, falou sobre a importância da formação dos gestores e professores para mais esta ação que irá ampliar a integração da escola com a comunidade. “A Secretaria tem como ação estratégica a educação contextualizada com o território de identidade e de forma sustentável. Então, esta ação dos Escritórios Criativos e Territoriais vem fortalecer este elo da Educação voltada para o seu entorno e contribuir para o desenvolvimento do território onde ela está inserida”, avaliou.

O superintendente da Educação Profissional e Tecnológica, Durval Libânio Netto, disse que a formação fortalece o projeto dos Escritórios Criativos e Territoriais. “Estamos finalizando a implantação das primeiras seis unidades. Serão estruturas que vão apoiar a escola na perspectiva da integração com a comunidade e empresas. Por isso, a necessidade do curso, onde os educadores puderam compreender como realizar essa ação, envolvendo metodologia, conceitos e princípios, inclusive justamente para realizar parcerias, seja para realizar estágios, trabalhos de conclusão de curso, apoiar algum processo de assessoria e consultoria, promover uma inovação tecnológica ou incubar empresas também através das fábricas-escolas. Lembrando que teremos os Escritórios Territoriais nas unidades das sedes dos Núcleos Territoriais de Educação e Escritórios Criativas nos outros municípios do território, mas a concepção de funcionamento é a mesma”, explicou.

Parceiro da Secretaria da Educação na implantação dos Escritórios Territoriais e Criativos, o Instituto de Assessoria para o Desenvolvimento Humano (IADH), promoveu o curso por meio de Educação a Distância (EaD) e irá realizar a consultoria presencial nos escritórios. “A lógica dos Escritórios Territoriais e Criativos é fazer a ponte do centro de formação profissional, com sua missão, visão de futuro, seus valores, com seus projetos político-pedagógicos buscando uma interface mais concreta, mais direta com os anseios e necessidades dos territórios. Estamos muito satisfeitos em contribuir com essa primeira etapa onde estamos concluindo a assessoria presencial nas primeiras seis unidades”, salientou.

Durante a solenidade, ainda foi assinado um acordo de cooperação com as Secretarias de Desenvolvimento Rural (SDR) e de Planejamento (SEPLAN), visando o apoio técnico, administrativo e financeiro aos colegiados de desenvolvimento territorial.  Ainda estiveram presentes ao evento o secretário da SDR, Jerônimo Rodrigues, o diretor de planejamento territorial da SEPLAN, Luiz Gugê Santos, o diretor-geral da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), Wilson Dias, entre outras autoridades.

Professores utilizarão sala virtual do Google para atividades do Redijaê 2018

índice

 

Professores da rede estadual de todo o Estado participaram, nesta segunda-feira (21), da videoconferência “Redijaê 2018 – Formação dos Professores”, realizada no Instituto Anísio Teixeira e retransmitida para as telessalas dos Núcleos Territoriais de Educação. A ação faz parte do projeto ENEM 100%, com foco na produção textual voltada para a redação do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). A iniciativa tem como suporte o projeto e-Nova Educação, desenvolvido pela Secretaria da Educação do Estado em parceria com o Google, que está levando tecnologias digitais para a sala de aula, integrando acesso à internet de alta velocidade com os dispositivos móveis, dentro da proposta de propiciar a contextualização da Educação no século XXI.

A formação dos professores para o Redijaê será feita no ambiente virtual denominado de plataforma virtual colaborativa, da Rede Anísio Teixeira e, depois, os educadores irão construir a sala virtual no Google Classroom, onde serão desenvolvidas as atividades com os estudantes envolvidos no Redijaê, o que incluirá desde a discussão de potenciais temas para a redação até a correção de textos.

O superintendente das Políticas para a Educação Básica do Estado, Ney Campello, falou sobre a importância do projeto que chega à sua 2ª edição. “Acredito que esse projeto, que iniciou ano passado, pode se constituir em uma contribuição importante para os estudantes que estão se preparando para o ENEM. O conceito do projeto ENEM 100% é uma concepção de alcançar todos os estudantes, desde a inscrição até o momento da realização do exame, passando por sua preparação, pelo entendimento que nós temos de que o ENEM é o principal acesso dos alunos da rede pública ao Ensino Superior e ao mercado de trabalho”, relatou, ao destacar que o uso da plataforma irá potencializar o projeto. “Agora temos uma ampliação à nossa acessibilidade ao Redijaê, por meio da parceria com o Google, que pode potencializar ainda mais jovens a participarem”, acredita.

O professor de Redação, Jair Mercês, do Colégio Estadual Abílio César Borges, localizado no Largo de Roma, destacou como a formação pode ajudar os docentes. “Nós já conhecemos o conteúdo abordado, mas essa formação vai nos proporcionar uma atualização, nos ajudando a dar um maior direcionamento ao alunado. Atualmente, tenho duas turmas, com 40 alunos cada, e essa atividade vai agregar ao conhecimento de todos, principalmente dos estudantes, preparando-os de forma mais qualificada para o ENEM”, afirmou.

Para o segundo ano do Redijaê, os professores serão os responsáveis pela correção das avaliações realizadas pelos estudantes. Serão trabalhados quatro temas e cada professor, que realizou adesão ao projeto, estará vinculado diretamente às suas turmas. As atividades serão desenvolvidas nas salas virtuais do Google Classroom.  Ao todo, participam desta etapa 309 professores, de 135 escolas da rede estadual de ensino.

Estudantes do CJCC irão apresentar projetos que aliam inovação e tecnologia no Virtual Educa Bahia 2018

índice

 

Com atividades que vão envolver quatro dias do XIX Encontro Internacional Virtual Educa, que acontece entre os dias 4 e 8 de junho, no Centro de Formação e Eventos da Secretaria da Educação do Estado (antigo ICEIA), em Salvador, estudantes e professores, dos Centros Juvenis de Ciência e Cultura (CJCC), de Salvador, Itabuna, Vitória da Conquista, Senhor do Bonfim e Barreiras, irão apresentar projetos, mostras, workshops, e bate-papos, sobre as atividades complementares desenvolvidas. Entre as iniciativas estão temas como robótica, criação de música a partir do computador, a reciclagem como prática pedagógica, ciência, empreendedorismo e desenvolvimento de games.

A participação do CJCC no encontro envolverá mais de 20 atividades. De acordo com a programação, os visitantes poderão conferir os workshop: ‘Camisas High Tech e Comic Glasses’, do CJCC de Senhor do Bonfim, ‘Papo reto: Desenvolvimento de games e aprendizagem’, do CJCC de Vitória da Conquista); ‘Papo reto: CSI – Ciência Super Investigativa, do CJCC de Itabuna, e ‘Desenvolvimento de Jogos com Scratch e Construct 2’, do CJCC de Barreiras, além da Mostra de Experimentos: robótica’, do CJCC de Salvador.

Centros Juvenis - O CJCC é uma iniciativa da Secretaria de Educação do Estado para promover a ampliação da jornada escolar e a diversificação do currículo dos estudantes, que participam das oficinas no turno oposto aos quais estão matriculados. Além das cinco unidades em funcionamento, já estão em fase de implantação três novas unidades, em Feira de Santana, Jequié e Irecê.

Virtual Educa - O XIX Encontro Internacional Virtual Educa é um dos maiores eventos mundiais sobre inovação e tecnologia aplicadas à Educação e será realizado pela primeira vez na Bahia. A programação também envolverá atividades no Porto de Salvador, onde acontecerá o Fórum Global sobre Educação e Inovação: Cooperação Sul-Sul, com a participação de representações de países da América Latina, Caribe e África.

Estudantes de Wenceslau Guimarães participam de oficina para potencializar a arte teatral na escola

índice

 

Os estudantes do Colégio Estadual Nair Lopes Jenkins, localizado no município de Wenceslau Guimarães participaram, nesta terça-feira (22), de uma oficina de teatro. A atividade teve o objetivo de preparar e estimular os estudantes a participarem do Festival Estudantil de Teatro (FESTE), que é um dos oito projetos de arte e cultura desenvolvidos pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia.

Durante a oficina, promovida para 40 estudantes, foram trabalhados conteúdos teóricos e práticos como: exercício de improvisação, trabalho de corpo, interpretação teatral, jogos dramáticos, noções de cenário e figurino, e trabalho de projeção de voz e respiração. Após a oficina, os estudantes interessados poderão fazer suas inscrições no mês de junho para participar da etapa escolar do projeto.

Segundo o arte-educador e conselheiro de Cultura do Estado, Francisco Nascimento, que ministrou a oficina, projetos como o FESTE são essenciais para o desenvolvimento e aprendizado dos estudantes. “Além de estimular os estudantes à utilização cênica do corpo, este projeto também promove a interação com a escola, amplia as possibilidades de comunicação, eleva a autoestima e fortalece a compreensão dos projetos estruturantes dentro da unidade escolar”, destaca o educador.

A estudante Laize de Souza Santos, 16, 1° ano, afirma que a oficina foi muito interessante. “Ela possibilitou que todos os alunos envolvidos mostrassem suas capacidades de atuação no teatro. Além disso, serviu para trabalharmos o nervosismo e a expressão corporal”, pontuou.

Seu colega de série, Gustavo Matos de Sousa, 14, conta que já está na expectativa de participar do FESTE. “Aprendemos muito na oficina e todas as dicas serão úteis para a nossa participação no projeto, a exemplo de como memorizar os textos e como se trabalhar melhor em grupo”, disse, entusiasmado.

Sobre o Feste – O projeto Festival Estudantil de Teatro (FESTE) é uma das experiências em políticas culturais com a juventude estudantil, que tem o objetivo de avivar o debate e incrementar as práticas artísticas e culturais nos campos da história, da arte, do patrimônio, da juventude e da democratização desses saberes, com vistas ao desenvolvimento das artes cênicas nos contextos escolares.