Inscrições para o Parlamento Jovem Brasileiro estão abertas até 28 de maio

índice

 

As inscrições para a 15ª edição do Parlamento Jovem Brasileiro (PJB) seguem abertas até a próxima segunda-feira (28). O PJB simula uma jornada parlamentar, na qual os jovens estudantes vivenciam o trabalho de um deputado federal, por meio de debates e votações. A experiência possibilita a formação de um conceito positivo acerca do Poder Legislativo, informa sobre o processo legislativo e educa para a participação e a cidadania.

É necessário ser aluno do Ensino Médio ou técnico de escolas públicas e particulares de todo o Brasil, com idade entre 16 e 22 anos, para participar. O candidato tem que estar matriculado no 2º ou no 3º ano do Ensino Médio ou no 2º, 3º ou 4º ano do Ensino Técnico, na modalidade Integrada ao Ensino Médio.

Os interessados devem elaborar um projeto de lei que proponha mudanças para melhorar a realidade do país. O tema é livre, mas deve ter impacto nacional. A proposta deve ser enviada juntamente com a ficha de inscrição e com toda a documentação necessária à Secretaria de Educação do Estado do estudante, na forma prevista no Manual de Procedimentos do PJB 2018.

O evento será realizado de 1 a 5 de outubro, na Câmara dos Deputados. Serão selecionados 78 projetos. O número de representantes jovens por estado e no Distrito Federal é distribuído de maneira proporcional, como nas eleições oficiais. São Paulo, por exemplo, que tem o maior número de deputados na Casa, recebe 11 parlamentares jovens, enquanto o Distrito Federal e o Acre, que têm oito representantes, recebem um representante jovem.

Baiano – Em 2017, o estudante Admilson dos Santos Boaventura, 18, 2º ano, do Colégio Estadual Castro Alves, em Adustina (a 356 Km de Salvador), no Nordeste do Estado da Bahia, representou a Bahia no PJB. Ele foi eleito pela criação de um projeto sobre a gestão democrática na escola.  O estudante, que é filho de agricultora familiar e morador da zona rural, também conquistou vaga no Parlamento Juvenil do Mercosul (PJM) representando a Bahia.

Saiba mais no site do PJB

Projeto e-Nova Educação dinamiza aprendizado dos estudantes do Colégio Estadual Luiz Tarquínio

 

índice

Para os estudantes do 3º ano do Colégio Estadual Luiz Tarquínio, localizado no bairro da Ribeira, em Salvador, estudar nunca foi tão dinâmico como está sendo agora com a implantação do projeto e-Nova Educação, lançado pela Secretaria da Educação do Estado em parceria com a Google. O uso de Chromebooks com acesso à internet e ferramentas do Google está revolucionando a prática de ensino e fortalecendo o aprendizado dos estudantes através da tecnologia.

A estudante Tatiane Monteiro Lopes, 16, conta que está gostando muito da nova metodologia de aulas. “Fazer os exercícios no Chromebook é muito mais interessante do que fazer no caderno. Antes, tínhamos que copiar os conteúdos no quadro e isso levava tempo. Agora, temos acesso a tudo através do aparelho no qual utilizamos diferentes ferramentas para responder nossas atividades de forma rápida e com o acompanhamento imediato do professor”, disse.

Andrey Santos,16, afirma que seu rendimento nas disciplinas aumentou com o uso das ferramentas e aplicativos como Google Docs e outras. “A forma de responder as questões, formatar e escrever os textos deixou nosso aprendizado ainda mais fácil. Quase não usamos papel, tudo é produzido no Chromebook e de forma online”, revela. Já o seu colega Ygor Luiz Reis, 16, completa que “o professor está lá na sala virtual só para nos auxiliar, pois nós temos tudo na mão e o Google possui uma variedade de conteúdos que podemos explorar e pesquisar”, comemora.

A diretora Lúcia Maria Fagundes comera a implantação do projeto no colégio, que está em atuação desde o ano passado. “O e-Nova veio para dinamizar a metodologia do professor e isso é o que o jovem da atualidade quer vivenciar e os estudantes estão muito felizes com este projeto e queremos que ele se amplie ainda mais”, enfatiza a gestora.

O professor e vice-diretor, Pedro Anselmo São Thiago, acrescenta que o e-Nova Educação vem transformando o eixo pedagógico da unidade escolar. “Para estimular ainda mais o aprendizado dos estudantes, eu criei sete salas virtuais através do Google Sala de Aula, nas quais todos interagem de forma constante, pois compartilham suas atividades realizadas e recebem minhas orientações e correções em tempo real. Essa tecnologia facilitou a resolução da questão de conteúdo e nota, criou uma dimensão de trabalho pedagógico que eu até então desconhecia, facilitou as aprendizagens e criou uma ambiência de cultura de tecnologia na escola”, explica o educador, que recentemente participou de uma formação, juntamente com outros professores, através do projeto.

Sobre o e-Nova Educação – O projeto está levando tecnologias digitais para a sala de aula, integrando acesso à internet de alta velocidade com os dispositivos móveis, dentro da proposta de propiciar a contextualização da Educação no século XXI. O e-Nova Educação contempla, em sua fase piloto, escolas de 11 municípios baianos – Salvador, Feira de Santana, Mata de São João, Camaçari, Lauro de Freitas, Jequié, Vitória da Conquista, Ilhéus, Itabuna, Senhor do Bonfim e Luís Eduardo Magalhães –, englobando 20 escolas das mais variadas modalidades de oferta, desde Centros Noturnos de Educação até escolas regulares, passando, também, por Centros de Educação Profissional, dentre outros. A meta é chegar a 500 unidades escolares ainda este ano, já tendo sido adquiridos 14 mil chromebooks para a distribuição entre essas escolas.

Estudantes da rede estadual apresentam projetos de iniciação científica na VI Feira Nacional de Matemática

índice

 

Dos mais de 100 projetos de várias partes do país, envolvendo experiências, pesquisas e atividades matemáticas, a serem apresentados na VI Feira Nacional de Matemática, quatro são de autoria de estudantes da rede estadual baiana. Eles, acompanhados de seus professores orientadores, viajam para Rio Branco, no Amapá, onde acontece o evento, com início nesta quarta-feira (23), até sexta (25), sob a organização do Instituto Federal do Acre (IFAC) e Universidade Federal do Acre (UFAC). A feira nacional tem o apoio, ainda, da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), a Universidade Regional de Blumenau (FURB) e a Sociedade Brasileira de Educação Matemática (SBEM), entre outras instituições.

“Acreditamos que a Ciência é uma forma de criar um novo paradigma para o ensino na rede pública e os nossos estudantes, ao serem classificados para a participação em mais um evento nacional, nos mostram que estamos no caminho certo. Portanto, estamos estimulando cada vez mais o fazer ciência em sala de aula, incentivando a criatividade dos nossos estudantes e contando com o compromisso e envolvimento dos nossos professores”, afirmou o secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro.

Os projetos da rede estadual que serão apresentados na sexta edição da Feira Nacional de Matemática foram selecionados na 6ª Feira de Empreendedorismo, Ciência e Inovação da Bahia (FECIBA), realizada dentro do 5º Encontro Estudantil da Rede Estadual, promovido pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia, no ano passado. São eles: “O fogão solar e a aplicação da secção cônica diminuindo impactos ambientais”, do Colégio Estadual Professora Simone Neri, em Inhambupe; “Transformando águas: o uso da biomatemática na dessalinização da água salobra na região de caatinga”, do Colégio Estadual Eurides Santana, em Poções; “Áreas de figuras estranhas”, da Escolas Reunidas Almeida Sampaio, em Amargosa; e Armas biológicas x Aedes aegypti”, do Colégio Estadual Wilson Lins, em Valente.

Caio Vieira e Beatriz Pinho, ambos 18 anos, estavam cursando o 3º ano, no ano passado, quando criaram “O fogão solar e a aplicação da secção cônica diminuindo impactos ambientais”. De malas prontas para viajar rumo ao Acre, Caio fala de sua expectativa e da relevância social do projeto. “A responsabilidade de representar o nosso Estado é grande, bem como a satisfação de termos o nosso projeto reconhecido por um evento nacional. Isto mostra que o aluno de escola pública tem o seu lugar. Apresentamos a solução para uma problemática social e ambiental, que diz respeito ao alto preço do bujão de gás e a destruição do meio ambiente com o fogão de lenha”, afirma Caio, contando que o fogão foi construído a partir dos estudos de secções cônicas, que é um estudo matemático ligado a parábolas, com a utilização de uma tampa de caixa d´água de 135 litros, pintada interna e externamente de preto para aquecer mais rápido e conservar o calor.

A professora orientadora de Matemática, Nildete Luz Souza, destaca o suporte que o Programa Ciência na Escola, da Secretaria da Educação do Estado, dá à rede estadual de ensino, oportunizando os alunos da rede pública à iniciação científica. “Disciplinas como Matemática, antes tidas como bicho-papão, hoje promovem a inserção dos estudantes a feiras como a FECIBA, ao mercado de trabalho, às novas tecnologias, à uma nova forma de pensar, tornando-os cidadãos autônomos, reflexivos, críticos e preparados para a vida. O projeto do forno solar foi criado em 2013 e, desde então, tem uma trajetória de sucesso. Estou muito feliz por irmos representar a rede na feira nacional e pela valorização o Ciência na Escola dá à escola pública e aos seus estudantes”.

A coordenadora do Programa Ciência na Escola, Shirley Costa, ressalta a importância da participação dos estudantes da rede estadual na VI Feira Nacional de Matemática. “É muito positivo, porque mostra o envolvimento dos nossos alunos nos projetos de iniciação científica, um movimento que está cada vez mais forte na nossa rede. São estudantes que apresentaram trabalhos na Feira Baiana de Matemática, no ano passado, e foram selecionados, recebendo credenciais para participar da feira nacional”, afirmou.

Secretaria da Educação do Estado certifica educadores para atuação nos Territórios de Identidade

A Secretaria da Educação do Estado irá certificar 60 articuladores do mundo do trabalho dos Centros Estaduais e Territoriais de Educação Profissional e Tecnológico pela conclusão do curso “A Educação Profissional e Tecnológica (EPTEC) e os arranjos produtivos territoriais”. A cerimônia acontecerá, nesta terça-feira (22), às 14h, no auditório da Secretaria, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador. O curso teve como objetivo capacitar os educadores da rede, para a Educação Profissional e Tecnológica cada vez mais contextualizada com os 27 Territórios de Identidade da Bahia.

Realizada pela Secretaria da Educação do Estado, por meio do Instituto Anísio Teixeira, em parceria com a Assessoria para o Desenvolvimento Humano (IADH), na modalidade de Ensino a Distância (EaD), o curso teve carga horária de 80 horas. A atividade aconteceu em dois blocos, sendo o primeiro com quatro módulos, correspondente ao curso básico, e o segundo, com dois módulos complementares e os ciclos de assessoria presencial, correspondente ao curso intermediário.

Escritórios Criativos - O curso também está inserido nas diversas atividades que darão suporte à implantação de 30 Escritórios Criativos nas unidades da rede estadual de Educação Profissional e Tecnológica. O projeto vai estimular a Educação Empreendedora e a cultura da inovação e da criatividade nos centros de Educação Profissional do Estado da Bahia, disponibilizando serviços de consultoria e assessoria nos Territórios de Identidade. Entre outras atividades, os Escritórios Criativos também promoverão a proteção à inovações, criações, marcas e patentes de estudantes, professores e comunidades, além de fomentar arranjos produtivos locais e territoriais. Inicialmente, o projeto será implantado em seis unidades localizadas nos municípios de Gandu, Ilhéus, Ipirá, Irecê, Ribeira do Pombal e Seabra.

Diretrizes da Educação Inclusiva são discutidas com técnicos do Conselho Estadual de Educação

índice

A Secretaria da Educação do Estado promoveu, nesta sexta-feira (18), uma formação sobre temáticas da Educação Inclusiva com os técnicos do Conselho Estadual de Educação (CEE), realizada dentro do projeto “Diálogos Inclusivos”. A primeira aula de uma série, que deverá ser realizada a cada 15 dias, foi ministrada pela coordenadora da Educação Inclusiva da Secretaria da Educação do Estado, Patrícia Braille, e tratou, especialmente sobre as Diretrizes da Educação Inclusiva na Bahia. Este documento consolida a política da Educação Inclusiva na Bahia e orienta as práticas pedagógicas dos professores e a organização das estruturas escolares.

“Este projeto faz parte das estratégias de implementação das Diretrizes da Educação Inclusiva dentro dos órgãos públicos. Estamos dialogando com o pessoal do CEE sobre temas sistemáticos, como deficiência visual, deficiência intelectual, superdotação, enfim todas as áreas relativas à Educação inclusiva. Fizemos uma dinâmica do aprendizado do Braille, mostrando para os técnicos do CEE que é possível aprender o sistema de escrita dos deficientes visuais”, destacou.

Durante a sua intervenção, a gestora destacou, também, os projetos da Secretaria e as estruturas de atendimento para pessoas com deficiência, a exemplo dos Centro de Apoio Pedagógico ao Deficiente Visual (CAP). A rede estadual conta com Atendimento Educacional Especializado (AEE), que está disponível, atualmente, para mais de oito mil estudantes com necessidades educacionais especiais. São 65 Salas de Recursos Multifuncionais (SEM), 12 Centros de Atendimento Educacional Especializado e seis instituições conveniadas. Os alunos também são atendidos nas escolas da rede e nos Centros de Educação Especial, dentro de suas especificidades, para que possam participar ativamente do ensino regular. No ato da matrícula, a família pode escolher a escola da sua conveniência e a Secretaria providencia os meios para que o estudante acesse e permaneça na referida unidade escolar

O diretor assistente do CEE, Remi Bonfim, ressaltou a importância de os funcionários do Conselho se inteirarem da pauta da Educação Inclusiva. “Este é o nosso primeiro momento interno de formação. Esta pauta entra como parte dos regimentos que aprovamos aqui. Deste modo, Patrícias Braille está trazendo a questão do avanço da legislação e nos atualizando. Também faremos formação voltada à Educação no Campo, Educação Indígena, entre outras”.

Estudantes com deficiência visual participam de atividades artísticas e culturais no Museu da Misericórdia

índice

Estudantes do Centro de Apoio Pedagógico ao Deficiente Visual (CAP) – unidade da rede estadual de ensino – se reuniram, nesta sexta-feira (18), em torno de mais um momento artístico-cultural. Trata-se da terceira edição do projeto itinerante “Sextas Culturais”, realizado, desta vez, no Museu da Misericórdia, no Centro Histórico de Salvador. O evento, que aconteceu no Dia Internacional do Museu, envolve apresentações musicais, cênicas, de dança e de artes visuais, além de palestras e rodas de conversa, visando ampliar as possibilidades de inclusão socioeducacional da pessoa com deficiência visual, dentro da concepção de que a interação deva acontecer a partir de diversas linguagens e manifestações humanas.

Cristovão de Oliveira, 39, estudante do CAP há dois anos, falou com entusiasmo sobre as “Sextas Culturais” e o trabalho realizado no centro. “Acho muito importante a realização de eventos como este, porque mostra para a sociedade que somos pessoas capazes e que, portanto, devemos ser integradas tanto ao mundo do trabalho como às atividades artística-culturais. Por conta do CAP, me sinto hoje incluído, minha autoestima melhorou e tenho o respeito que mereço ter das pessoas”.

Há mais de dez anos no CAP, João Alcides, 45, se orgulha de ter aprendido Braille na instituição, mobilidade, tocar violão e jogar bola. “Hoje ensino violão a meus colegas e ajudo a eles na defesa pessoal. É muito interessante este trabalho de inclusão social que o CAP promove, porque mostramos à sociedade que somos iguais, somos capazes de estudar, de trabalhar, de viver como qualquer pessoa. A nossa deficiência não é motivo para sermos excluídos”.

A mãe do aluno Nilton Oliveira Cardim, 27, Luzia Cardim, assídua nas “Sextas Culturais”, comentou a evolução do filho desde que entrou no CAP, há três anos. “Ele, hoje, toca teclado e percussão e ainda participa do coral. Antes, ele era mais dependente, não andava nem até ao banheiro sozinho. Este evento aqui só consolida o importante trabalho que é realizado no CAP”.

 

Exposição interativa – Durante o evento, os estudantes do Coral do CAP se apresentaram, bem como o grupo de percussão do centro chamado Batucaixa. Além disso, foi lançado o livro Príncipe Negro, do professor Hélio Bacelar, e os visitantes puderam apreciar a exposição interativa em tecnologia assistiva, que reuniu alguns recursos pedagógicos que são utilizados na Educação Inclusiva para pessoas com deficiência visual, como máquina braile, bengala, braillito e reglete (ambos para o aprendizado do braile) e soroban (instrumento matemático), além de equipamentos para pessoas com baixa visão, como a régua de leitura e a lupa eletrônica.

O diretor do CAP, Rivelto Carvalho, destacou a relevância de eventos que abordam diversas linguagens. “As Sextas Culturais é um projeto que a gente sempre insere uma temática que é abordada em roda de conversa e, desta vez, foi ‘Nada sobre nós sem nós’, que significa que nenhuma decisão relacionada ao deficiente visual pode ser tomada sem a participação deles. A gente acredita que este evento é mais uma forma de expressão na busca de incluir essas pessoas na sociedade, dando um sentido mais plural às políticas de inclusão, buscando avançar ainda mais”.

A terceira edição do projeto ‘Sextas Culturais’ foi realizado em parceria com o Museu da Misericórdia, com o apoio da Sessão de Braille da Biblioteca Central do Estado da Bahia e do Instituto de Cegos da Bahia. A museóloga Osvaldina César falou sobre a importância de acolher o trabalho do CAP na ocasião das comemorações da Semana do Museu, no Museu da Misericórdia. “É uma forma de aproximarmos o deficiente visual ao museu e sensibilizar a sociedade para uma experiência interativa que visa a inclusão social dessas pessoas”.

Secretaria da Educação do Estado lança concurso de vídeos sobre Educação para a Saúde

índice

A Secretaria da Educação do Estado lançou, nesta sexta-feira (18), por meio de publicação no Diário Oficial do Estado (DO), o concurso público de vídeos educativos direcionado a estudantes regularmente matriculados na rede estadual de ensino, com o tema central ‘Educação para a Saúde’. O concurso será realizado de 18 de maio a 9 de novembro de 2018, e envolverá as etapas escolares, territorial e a seleção por uma comissão julgadora da Secretaria da Educação do Estado. O resultado final deverá ser divulgado no dia 20 de novembro de 2018 e a premiação está programada para o dia 14 de dezembro. Os estudantes vencedores serão premiados com máquinas fotográficas.

“Esta é mais uma iniciativa que estamos adotando para fortalecer o eixo pedagógico das escolas e promover o protagonismo estudantil, uma vez que a atividade leva a uma reflexão sobre a temática e fortalece as práticas educativas voltadas à Saúde. Portanto, com o concurso, estamos estimulando ações de prevenção e promoção à saúde na escola, na perspectiva do desenvolvimento integral dos estudantes e com o engajamento dos nossos professores”, afirmou o secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro.

De acordo com o edital, os vídeos de curta metragem devem ter até cinco minutos, com caráter educativo/propositivo. As filmagens podem ser feitas com aparelhos celulares, tablets, máquinas fotográficas digitais ou filmadoras e deverão ser gravadas em CD ou DVD. Embora o concurso tenha o tema central, também poderão ser abordados os seguintes subtemas: Prevenção às Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST); Controle do Aedes aegypti e Prevenção às Arboviroses (Dengue, Chikungunya, Zika, entre outros); Prevenção ao uso de Álcool, Tabaco e outras Drogas; Promoção à  Alimentação Saudável; Promoção da Saúde Ambiental e Sustentabilidade Socioambiental; Promoção a Cultura de Paz e Respeito à vida.

Das inscrições – As unidades escolares devem divulgar e promover a realização de atividades que contribuam para a elaboração de um roteiro que servirá como referência na produção dos vídeos protagonizados pelos estudantes, sob a orientação de um professor, no período de 18 de maio a 06 de setembro. Após esta etapa, a unidade escolar deverá enviar os vídeos selecionados, um de cada subtema, para representá-la na etapa territorial, acompanhados dos formulários constantes nos anexos do edital (ficha de inscrição, termo de responsabilidade, termo de cessão de direitos autorais e ficha de acompanhamento unidade escolar/NTE), devidamente preenchidos, até 24 de setembro, para os Núcleos Territoriais de Educação (NTE). Cada NTE selecionará até 07 (sete) vídeos, sendo, obrigatoriamente, um de cada subtema, que irá representar o mesmo na etapa estadual.

Acesse o edital e saiba mais: www.educacao.ba.gov.br

Experiências de alfabetização do TOPA serão apresentadas no Virtual Educa 2018

índice

 

A programação do XIX Encontro Internacional Virtual Educa – um dos maiores eventos mundiais sobre inovação e tecnologia aplicadas à Educação, que será realizado entre os dias 4 e 8 de junho, no Centro de Formação e Eventos da Secretaria da Educação do Estado (no antigo ICEIA), também contará com o Seminário de Socialização dos Resultados da Aplicação dos Testes Cognitivos da 10ª Etapa do Programa Todos pela Alfabetização (TOPA), além de experiências de alfabetização. A atividade contará com uma palestra com o presidente de honra do Instituto Paulo Freire, Moacir Gadotti, em celebração aos 50 anos da Pedagogia do Oprimido, do educador Paulo Freire. As atividades acontecem no dia 6 de junho, das 8h30 às 17h30, no local do evento.

Segundo a coordenadora de Projetos Especiais da Secretaria da Educação do Estado da Bahia, Elenir Alves, a ideia da atividade é resgatar o legado de Paulo Freire. “Estaremos com representantes de prefeituras que executaram o TOPA nesta décima etapa, com representantes de entidades dos movimentos sociais e sindicais, além de pessoas que já se alfabetizaram pelo programa. Vai ser muito interessante, porque vamos socializar três experiências exitosas da décima etapa do TOPA. Outro destaque será a palestra com Moacir Gadotti, que abordará o tema 50 Anos da Pedagogia do Oprimido: inquietações e perspectivas”, destaca.

Elenir Alves também informa que, paralelamente, acontecerão outras ações, a exemplo da mobilização dos municípios em parceria com a UNICEF, na adesão da metodologia da busca ativa de crianças que estão fora da escola. “A UNICEF vem desenvolvendo um trabalho em todo o Brasil e a Bahia também adotará esta metodologia para identificar por quais razões algumas crianças estão fora da escola. O Estado fará a adesão e a Secretaria, enquanto Estado, convidará os municípios para aderir à essa metodologia da UNICEF. Além disso, também iremos prestar atendimento aos municípios no estande da União Na­ci­onal dos Di­ri­gentes Mu­ni­ci­pais de Edu­cação (UNDIME-BA), pois a Secretaria trabalha nesse regime de colaboração com os municípios ”, explica.

Sobre o TOPA – O Programa Todos pela Alfabetização (Topa), desenvolvido pelo Estado em parceria com o Governo Federal e com apoio dos municípios e entidades sociais e sindicais. Com o Topa, 1,5 milhão de jovens acima de 15 anos, adultos e idosos, que não puderam efetuar os estudos na idade regular, foram alfabetizados.

Secretaria da Educação do Estado orienta gestores para o registro da frequência escolar no Programa Bolsa Família

índice

A Secretaria da Educação do Estado está divulgando o Calendário do Acompanhamento da Condicionalidade da Educação do Bolsa Família 2018, para que as escolas encaminhem ao Ministério da Educação o registro da frequência escolar dos alunos beneficiários do programa. O acompanhamento da frequência escolar é realizado ao longo de cinco períodos do ano e os profissionais da Educação fazem a coleta das informações e o registro da frequência por meio do Sistema de Acompanhamento da Frequência Escolar do Bolsa Família, o Sistema Presença. O segundo período para a impressão dos formulários começa, nesta quinta-feira (17), compreendendo o bimestre abril e maio.

A frequência escolar no Programa Bolsa Família é uma ação que envolve a coleta, o processamento e o acompanhamento bimestral dos estudantes na escola. A rede de acompanhamento no Estado inclui os municípios, as escolas e a participação de coordenadores, auxiliares e gestores escolares, que exercem o papel de municiar o Sistema Presença, do MEC, com as informações dos estudantes. Neste processo, os gestores são mobilizados para coletar e acompanhar as informações individualizadas dos estudantes, que representam mais de um terço das matrículas da Educação da rede estadual de ensino da Bahia.

A superintendente da Informação Educacional da Secretaria da Educação do Estado, Cristiane Ferreira, disse que estas informações são estratégicas para o fortalecimento da política educacional e chama a atenção para a observância dos prazos. “É muito importante que as escolas sigam este calendário enviado pelo Ministério da Educação, permitindo assim a correta coleta e o registro da frequência escolar dos alunos beneficiários do Programa Bolsa Família. Afinal, um dos objetivos destas condicionalidades ou compromissos assumidos pelas famílias beneficiárias é reforçar o acesso à Educação, contribuindo para garantir a inclusão educacional de crianças e adolescentes”, afirmou, ao salientar que a coleta também permite identificar possíveis situação de descumprimento, como é o caso de estudantes com baixa frequência escolar, para que o poder público possa adotar medidas de auxílio e acompanhamento às famílias.

Educadores irão apresentar experiências dos Centros Juvenis de Ciência e Cultura na Campus Party Bahia 2018.

índice

Os participantes do Campus Party Bahia 2018, que começa nesta quinta-feira (17), na Arena Fonte Nova, em Salvador, vão poder conhecer as diversas atividades desenvolvidas nos Centros Juvenis de Ciência e Cultura (CJCC) em toda a Bahia. Na programação, serão realizados palestras e workshops voltados para robótica, games, produção sonora, ferramentas, aplicativos e software livres utilizados na Educação, na Área Comunidades.  Com parceria do Governo do Estado, o evento terá 300 horas de atrações, com a expectativa da participação de 90 mil pessoas nos quatro dias do encontro. A abertura será às 9h, com a participação do secretário da Educação, Walter Pinheiro.

O professor Jaime Azevedo, do CJCC Salvador, destaca a importância de desenvolver trabalhos vinculados à Educação dentro do espaço de tecnologia. “Os Centros Juvenis são protagonistas na produção de games para a utilização na sala de aula. Com a participação dos estudantes da rede estadual desenvolvemos projetos que podem ser apropriados por educadores para o ensino aprendizagem. Sempre valorizando softwares livres já que estamos ligados à rede pública”, destaca o educador, que estará no Workshop ‘Quer saber como funcionam os Games?’, nesta quinta-feira, às 16h.

Ainda fazem parte da programação, os workshops ‘Você conhece os Centros Juvenis de Ciência e Cultura?’, com o coordenador Iuri Rubim; ‘Comic glasses’, com as professores Janair Borges e Angelita Souza (CJCC Senhor do Bonfim); Produção Sonora, com o professor Alexandre Rebouças (CJCC Salvador); Scratch, com o professor Arlindo Matheus (CJCC Barreiras); Painel Interativo, com o professor Elton Barreto (CJCC Salvador); Case Mod/computador tela invisível e pepakura, professores Cleber Franco e Angelita Souza (CJCC Senhor do Bonfim); Camisas High tech, com os professores; e o talk Jogos Choices e Aedes Adventure desenvolvidos no Scratch, com o monitor Lucas Rodrigues (CJCC Vitória da Conquista).

Educação Profissional – Além do CJCC, estudantes do Centro Estadual de Educação Profissional (CETEP) Empreende Bahia, localizado no bairro de Água de Meninos, em Salvador, irão apresentar os projetos Mostra de Vídeos: Tecnologia e Empreendimento e Projeto 4P´s: Marketing Ideias Criativas e Inovadoras. A apresentação será às 11h, na sexta-feira (18), no Espaço da Aceleradora Vale do Dendê.

Veja programação do CJCC:

17/5 às 16h – Quer saber como funcionam os Games? – Jaime Azevedo (CJCC Salvador)

Desenvolvimento de jogo estilo Tower Defense com o tema Sistema imunológico com o título provisório e Vírus Defense. Utilizaremos o Blender 3D e o Engine Unity bem como outros softwares livres como Gimp e Inkscape.

17/5 às 16h – Jogos Choices e Aedes Adventure desenvolvidos no Scratch – monitor Lucas Rodrigues (CJCC Vitória da Conquista)

O Choices tem o objetivo de provocar reflexões sobre alimentação, saúde e qualidade de vida. O jogo Aedes Adventure foi desenvolvido com realidade aumentada para que os jogadores possam, com o movimento do corpo, acabar com o mosquito e seus criadouros.

18/5 às 13h – Você conhece os Centros Juvenis de Ciência e Cultura? – Iuri Rubim (Coordenador CJCC)

Venha conhecer os Centros Juvenis de Ciência e Cultura, laboratórios pedagógicos onde não há provas, a participação dos alunos é voluntária e eles aprendem se divertindo.

18/5 às 15h – Workshop Comic glasses – Janair Borges e Angelita Souza (CJCC Senhor do Bonfim)

Workshop para a produção de óculos de heróis de quadrinhos (comic glasses) ou personagens do universo geeks, elaborada para oportunizar os interessados a criarem sua fantasia de maneira criativa, divertida e sustentável, com produção DIY.
18 /5 às 18h – Produção Sonora – Alexandre Rebouças (CJCC Salvador)

Ação de produção sonora a partir de software livre.

19/5 às 10h30 – Case Mod/computador tela invisível e pepakura – Cleber Franco e Angelita Souza (CJCC Senhor do Bonfim)

Exposição e explicação dos passos para a produção de um case mod.

19/5 às 12h – Camisas High tech – Edjanne Amaral e Janair Borges (CJCC Senhor do Bonfim)

Demonstração da produção de camisetas com a utilização do aplicativo.

19/05 às 13h – Workshop Scratch – Arlindo Matheus (CJCC Barreiras)

Apresentação da ferramenta Scratch dentro do ambiente educacional. Como é utilizada no Centro Juvenil, mostrando a possibilidade do desenvolvimento das disciplinas (Português, Matemática, Biologia etc.) com o uso da programação. Elaboração de animações que possibilitem a interdisciplinaridade.

19/5 às 15h – Workshop Painel Interativo – Elton Barreto (CJCC Salvador)

Tutoria e montagem de robôs educacionais juntamente com exibição da montagem do Painel Interativo